Yeah, science, Bi#*h! (parte 1)

Ciência básica não é dos temas mais populares. Mas há dez anos é o assunto que mais me intriga. Comecei escutando podcasts de divulgação científica e hoje em dia dedico algumas horas de atenção por semana a canais de youtube, blogs, artigos, livros e, claro, podcasts sobre o tema. De física quântica à exobiologia, dificilmente há algum tema que não me atraia.

É natural, então, que eu tenha incorporado alguns conceitos na fotografia.

Arte e ciência não estão em lados tão antagônicos quanto se pode pensar. Existe sim um componente intangível na criação artística que a ciência ainda não desvendou. Este componente atrai a fascinação dos acadêmicos e abre uma porta para o desconhecido dentro de nossas mentes. Mas fora isso, a arte depende em grande parte dos limites que a ciência impõe e que a tecnologia abre.

É verdade que quando criamos, nos sentimos (alerta de clichê) um pouco deuses, com poderes de concepção e destruição daquilo que tocamos. Mas ter contato com os detalhes da natureza é a maior lição de humildade que há. Nem mesmo os seres humanos mais brilhantes, como Leonardo da Vinci ou Homero, seriam capazes de criar as excentricidades da biologia, da astronomia e, em especial, da física quântica que a ciência nos desvendou.

Ainda que tenha estudado mais nos últimos dez anos, sou leitor da Superinteressante desde os primeiros números, e muito feliz por ter contribuído com ela e com a Galileu como fotógrafo. Um dia farei um post com estes trabalhos.

Por ora, deixo algumas fotos autorais em que tentei desenvolver conceitos diversos em imagens simples. A ideia é promover alguma reflexão, então vou dividir as imagens em três posts para que cada foto não fique muito perdida e retenha um pouco mais de atenção.

Se houver algum cientista que queira contribuir com críticas à possíveis leituras equivocadas dos termos, estou mais que aberto à discussão!

20160531115143.jpgPlacebo

20160531115319.jpgRelatividade

20160531113301.jpgO benefício da dúvida

 


 

Não vou poluir muito este post, mas preciso lembrar que estou com datas de workshops em aberto. Mais informações aqui: http://www.flaviodemarchi.com.br/workshops/

Um comentário em “Yeah, science, Bi#*h! (parte 1)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s